Young European Socialists apoiam a emissão de dívida partilhada (EUROBONDS)

31-03-2020

O mundo vive, hoje, um dos seus maiores desafios históricos. O combate a uma nova pandemia e a defesa da vida humana exige, de todos nós, uma readaptação dos nossos hábitos sociais e comportamentais.

Embora estejamos, mais do que nunca, preparados para sobreviver a uma guerra silenciosa desta escala - muito por fruto dos benefícios da Era da Informação -, não o poderemos fazer da forma desintegrada, indiferente ou austeritária que nos condenou, no passado, a vários insucessos.

É imperioso que a União Europeia e os povos europeus respondam, no presente, à imagem do que proclamam para futuro. O continente europeu deve ser espelho de uma narrativa solidária e fraterna, tanto no combate à pandemia como na rejeição da proliferação dos populismos que se alimentam da desinformação. Do mesmo modo, urge que a UE e o Conselho Europeu entendam que a sua força reside na cooperação entre povos e na partilha de um espaço de valores comuns.

Assim, considero que o mérito da proposta de emissão de dívida mutualizada (dos 'coronabonds' ou 'eurobonds') reside, mais do que na partilha do risco, na demonstração que a cooperação europeia está verdadeiramente consolidada para fazer jus à missão da sua criação.

Não há União sem dignidade. Não há cooperação sem solidariedade.


Posição da YES na íntegra:


Artigo de opinião de Bruno Gonçalves, Secretário Nacional da JS para as Relações Internacionais e Coordenador para os Estudantes e Educação da YES